top of page

O que é a arrecadação no transporte público e quais são seus desafios?

Os recursos são primordiais para manter o pleno funcionamento dos serviços de transporte público nos grandes centros urbanos.




Dentro do sistema de transporte público, a arrecadação desempenha um papel fundamental. É por meio desse processo que os recursos financeiros são coletados para sustentar e melhorar a qualidade dos serviços oferecidos às pessoas. No contexto da ABASP, associação responsável pela arrecadação do transporte público na região metropolitana de São Paulo, a tarefa de coletar e repassar esses recursos apresenta grandes desafios. Neste artigo, exploramos o que é a arrecadação e os desafios que envolvem esse processo essencial.


O que é a arrecadação no transporte público?

A arrecadação no transporte público refere-se ao ato de coletar os recursos financeiros que vem dos passageiros que usam o sistema de transporte. Isso pode ocorrer de várias maneiras, como a venda de bilhetes digitais QR Code, cartões ou passes de transporte, seja em guichês, apps, máquinas de autoatendimento ou validadores instalados nos veículos.


Quais são os desafios na arrecadação do transporte público?


1. Fraudes e evasão de receita: um dos principais desafios enfrentados na arrecadação é a ocorrência de fraudes e evasão de receita. Passageiros que utilizam o transporte público sem pagar ou recorrem a práticas fraudulentas comprometem a sustentabilidade financeira do sistema e dificultam o destino correto dos recursos;


2. Tecnologia e infraestrutura: a implementação de tecnologias avançadas para a arrecadação, como sistemas de bilhetagem eletrônica e validação automatizada, apresenta desafios técnicos e de infraestrutura. É preciso garantir que esses sistemas sejam eficientes, confiáveis e capazes de lidar com o volume diário de passageiros;


3. Integração: em regiões metropolitanas como São Paulo, onde múltiplas operadoras de transporte público atuam, a integração e a conversa entre os sistemas de arrecadação representam um desafio. É necessário estabelecer padrões e protocolos que permitam a integração perfeita dos sistemas, facilitando a transferência de informações e a validação dos pagamentos entre diferentes modais e empresas.


4. Educação e conscientização: muitas vezes, a evasão de receita ocorre devido à falta de conscientização por parte dos passageiros sobre a importância de pagar pelo transporte público. É essencial investir em campanhas educacionais e de conscientização para promover uma cultura de respeito e cumprimento das regras, lembrando sempre, que esse valor pago volta ao cidadão em forma de investimento no transporte público;


5. Segurança e proteção de dados: com a evolução das tecnologias de pagamento, é crucial garantir a segurança das transações e a proteção dos dados pessoais dos passageiros. Desafios como a prevenção de fraudes eletrônicas e a conformidade com as regulamentações de privacidade exigem investimentos em segurança cibernética e políticas de proteção de dados robustas.

A arrecadação é primordial para a melhoria contínua dos serviços prestados pelas operadoras de transportes.


Atualmente, a ABASP centraliza a arrecadação de todo o sistema de transporte da Região Metropolitano de São Paulo, incluindo trilhos e pneus. Além disso, os municípios de Arujá, Cotia, Rio Grande da Serra e Taboão da Serra, também, contam com esse trabalho de Mobility Clearing House, uma expertise praticada apenas pela ABASP na América Latina.

107 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page